17/08/16 04h25 - IAP torna mais rígida multa por entrega incorreta de embalagens de agrotóxicos             ¤             17/08/16 04h19 - Acimacar inicia comercialização dos estandes para a Feira Ponta de Estoque             ¤             17/08/16 04h11 - Foragido da de Assis Chateaubriand é morto em confronto com a polícia             ¤             16/08/16 13h59 - Brasil perde nos pênaltis para a Suécia e vai disputar o bronze no futebol feminino             ¤             16/08/16 13h22 - Tribunal publica lista complementar de agentes políticos do Paraná com contas irregulares             ¤            
ATLNTIDA FM

IAP torna mais rígida multa por entrega incorreta de embalagens de agrotóxicos

17/08/16 04h25 | Agricultura

A- | A+

O IAP ­Instituto Ambiental do Paraná­ tornou mais rígida a multa por entrega incorreta das embalagens de agrotóxico.


O instituto revisou e definiu novos critérios de multas para produtores rurais que fizerem a devolução de embalagens de agrotóxicos vazias sem tríplice lavagem de maneira adequada, o objetivo é inibir práticas incorretas.


Antes, o critério do auto de infração para a entrega de embalagens junto às entidades devidamente cadastradas era amplo.


A portaria nº 127/2016, publicada define novos valores e enquadramento das infrações ambientais, de acordo com a porcentagem de embalagens entregues de maneira irregular.


A portaria estabelece que os produtores que entregarem de 1% a 6% das embalagens em desacordo com a norma receberão um auto de infração de advertência? entre 6% e 15% a multa é de R$ 500 e mais R$ 20 por embalagem contaminada.


Já os que entregaram acima de 15% das embalagens sem ter feito a tríplice lavagem de maneira correta pagarão multa de R$ 1.000 mais R$ 20 por embalagem.


Como o próprio nome diz, a tríplice lavagem consiste em lavar três vezes a embalagem vazia e, ainda, perfura-­la para inutiliza-­la para outros fins.


A água utilizada para isso deve ser despejada dentro do equipamento usado para aplicação do produto para ser aproveitada em futuras aplicações e jamais pode ser despejada de forma inadequada ao meio ambiente.


Para lavar, a embalagem vazia deve receber água em até 25% da sua capacidade, ser tampada e agitada durante cerca de 30 segundos.


Esse procedimento deve ser repetido outras duas vezes, a água do enxágue deve ser despejada dentro do tanque do equipamento de aplicação e, a embalagem deve ser furada no fundo para ser inutilizada.


Se destinado de maneira errada, o material pode contaminar rios, solo e comprometer a saúde pública.


Quando destinada de maneira correta e reciclada, ela pode virar tubulação para esgoto, embalagem para óleo lubrificante, caixa de bateria automotiva, conduíte e outros produtos.


 


Arnaldo Santos com inf/ Assessoria Copagril


 


 

Compartilhe

voltar